quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Ainda Rainsong

Ja faz uma semana que nao estamos em Rainsong, mas nao poderia ficar de consciencia tranquila se nao escrevesse este post. Nao, nao tem a ver com a festa de despedida com dancas escocesas, mas posso dizer-vos que foi hilariante. Nao ha fotos por razoes de seguranca (da maquina), mas podemos ensinar uns passinhos aos interessados.
O que eu queria mesmo dizer sobre Rainsong é muito mais secante e tem a ver com o facto de Rainsong NAO SER UM BOM EXEMPLO no que diz respeito a conservacao e reintroducao de animais. Várias pessoas já foram expulsas de lá, ou simplesmente partiram por nao concordarem com as políticas de Mary. ¨Love it or hate it¨, foi das primeiras coisas que nos disseram, juntamente com ¨Mary is crazy¨...
Num centro de recuperacao de animais (e actualmente na maioria dos zoos) as pessoas devem interagir o menos possivel com os animais, pelo facto de serem animais selvagens, e por se querer que continuem assim. Ao habituar um animal a festinhas e ao contacto com o Homem, ele simplesmente nao vai ter medo dos humanos quando for reeintroduzido, o que lhe poderá ser fatal.
Outro dos aspectos em que Rainsong falha é a questao do enriquecimento ambiental. Actualmente pretende-se que as instalacoes e a vida dos animais reproduza o mais fielmente a sua vida na natureza. Isto implica que, por exemplo, a comida nao seja dada em pratos, mas sim dispostas estrategicamente de maneira a que os animais tenham de se esforcar para as obter. Bem, nada disto acontecia em Rainsong e vim mais tarde a saber que houve dois voluntarios com experiencia em biologia que foram expulsos de lá por nao quererem pactuar com estas situacoes. E eu que pensei em propor algumas destas melhorias também...
No entanto nao duvido que Mary tenha a melhor das intencoes com os animais, mas o seu desconhecimento e o seu feitio muito particular impedem que as coisas melhores.
Da nossa parte estavamos conscientes destas situacoes (obrigada Zoo de Lisboa por tudo o que me ensinaste), mas nao sendo especialistas no assunto também nao nos sentiamos a vontade para abordar estas questoes com ela. Também seria dificil mudar seja o que for, muito menos num mes, portanto o que fizemos foi aproveitar a oportunidade de estar proximos dos animais e o excelente tempo que passamos com os restantes voluntários. Da Mary nao temos queixas pessoais: nao sei porque sempre nos tratou demasiado bem comparadamente com os restantes voluntários, mas sim, ela é completamente doida...

7 comentários:

nuno brolock disse...

Então mas nesse ponto de vista,
vocês são parte do problema!
Aliás, julgo não poder concordar contigo. O objectivo não é querer que continuem selvagens e vir a ser reintroduzidos. O objectivo é que continuem vivos! A Natureza faz a sua própria selecção. De que forma é que um animal sem braço ou sem visão pode continuar a sua vidinha selvagem? Não é o afecto aos humanos que é um risco para os seus futuros, não são os caçadores furtivos nem tão pouco os turistas inconscientes mas sim a Natureza e a própria espécie animal. Digo eu, claro.

nuno brolock disse...

E digo mais (ainda não tinha lido tudo): sim esconder a comida até é boa ideia, mas e então? O animal percebe que tem que dar ao pernil para ir buscar o alimento e tal...mas depois na vida real fica confuso! É que a comida esconde-se mesmo (tou a pensar em seres-vivos, insectos e outras coisas. Claro que se tivermos a falar de plantas e frutas já é outrA conversa...)Mas continuo a achar que um animal sem a totalidade dos seus sentidos apurados, ou sem algum membro, tem possibilidades muito reduzidas de sobreviver. Logo, é indiferente se come num prato ou na palma da mão...de outra forma é que não creio que conseguisse comer...

Daniela disse...

Hum, tocaste em alguns pontos que a mim tb me deram que pensar... Realmente tenho ideias contraditorias em relacao aos animais que nao podem ser reintroduzidos. Se a natureza faz a sua selecao, sera que os deviamos manter vivos? E sim, ate que ponto e prejudicial interferir com a sua natureza, se de qualquer maneira nao podem ser reintroduzidos? Se o mundo fosse perfeito estarim numa instalacao grande, o mais semelhante possivel ao seu habitat, com outros da sua especie e com a menor interaccao humana possivel. Mas o mundo nao e perfeito, nem na Costa Rica...
Mas pronto, nos so vos apresentamos os animais mais fofinhos, havia muitos mais! E quando perguntavamos a Mary porque estavam ali vinha com uma desculpa parva, tipo que era para reproducao (tendo so um macho ou uma femea...). Muitos dos animais que ha em Rainsong poderiam ser libertados, e eventualmente serao (?), mas a sua capacidade de sobrevivencia vai estar seriamente condicionada... Digo eu e aguardo a tua resposta (adoro estas discussoes ctg!)!

Cátia disse...

Conversa interessante :)

Quando li o teu post concordei com a importância que se devia de ter em assemelhar este "abrigo" ao habitat natural (as condições; a alimentação; o contacto mínimo com o Homem;... ). No entanto, também pensei naquelas criaturinhas (algumas debilitadas para o resto da vida e outras que já nasceram aí) no meio selvagem. Não era justo... mas pronto, a vida nem sempre é justa, prevalecendo a lei do mais forte.

Tavez devesse haver, realmente, uma reestruturação das instalações e pensar em algo que respondesse mais às necessidades destes animais (por exemplo, sou inteiramente de acordo em relação à alimentação, afinal são animais selvagens que precisam desses estimulos e desafios). E claro, como selvagens que são, o contacto com o Homem não é primordial.

Na minha opinião só alguns é que deveriam ser reintroduzidos, aqueles que reunem as condições necessárias - mas sempre com o intuito de ser fiel à realidade que os rodeia, para a plenitude do animal (tanto para o que fique como o que volte à natureza).

nuno brolock disse...

Trago uma boa nova: entrou hoje em vigor uuma lei em Portugal, que não permite a venda de animais perigosos (entre outros). Sendo assim, já podem ir ao circo pois os animais têm os dias contados (até porque também não é permitida a sua reprodução)!

Daniela disse...

Continuo confusa... E aplaudo a nova lei :)))

nuno brolock disse...

epá, tinha escrito uma granda testamento sobre esta questão,mas acho que se erdeu pelo caminho...pronto, fica para a próxima...já não me lembro de metade dos argumentos!!!