terça-feira, 1 de setembro de 2009

O nosso projecto

Agora que estamos de partida do nosso primeiro “local de trabalho” chegou a altura de vos pôr a par do projecto que temos vindo a desenvolver. Sentem-se, respirem fundo… Estivemos a iniciar a construção de uma casa de banho seca. “Foram para o meio da selva, sujeitando-se a serem mordidos por cobras e atacados por aranhas para construir uma casa de banho?!”. Sim, mais ou menos isso. Mas uma casa de banho seca tem muito a ver com questões ambientais e de sustentabilidade, e estas são de extrema importânica num ecossistema sensível e num local onde as condições sanitárias não são própriamente como nas nossas cidades. As casas de banho secas têm como vantagens a não utilização de água, produz fertilizante (não para a comida, mas ficam sabendo que o solo da floresta tropical é extremamente pobre, e este tipo de fertilizante pode ser muito útil), é barato, pode ser construído com recursos locais e (aquilo que se devem estar a perguntar neste momento) é um sanitário limpo e sem odores.

Uma vez explicado o projecto, aqui ficam umas imagens mais esclarecedoras:

Isto é a aparência do sítio antes de deitarmos mãos à obra.

Isto é o que conseguimos fazer num mês

Este é o aspecto de uma casa de banho seca terminada

Sei que pode parecer estranho, mas são pequenas coisas como estas que podem fazer a diferença… Mas claro que não fizémos só isso. Por exemplo também plantamos ananases J Apenas duas conclusões a que chegamos após ter feito este trabalho: o Hélder odeia trabalhar com níveis, e caso eu não arranje emprego na minha área quando voltar, talvez tente a construção civil…

6 comentários:

nuno brolock disse...

O Hélder odeia trabalhar, ponto. Até porque nas fotos nunca o vemos a trabalhar, só a Dani...o blogue, mesmo que escrito a 2 no moleskine - ou mesmo em cima dos joelhos, no guardanapo (quando os há) no papel higiénico (ou uma casa de banho seca também implica não limpar o rabinho?) - quem tem o trabalho final é a Dani...Do Hélder só sabemos que gosta de andar a cavalo - à patrão - e cultivar uma bela barbaça (já agora um post com várias etapas dessa barbuça era giro)!

ps- Por vezes, em vez de um ponto final tens uns jotas, tipo a seguir a ananases. Tenho vindo a reparar nisso e a ficar intrigado. Tem alguma coisa a ver com o Jorge Jesus (e o facto do Benfas ter dado 8 a 1 ao Setúbal(!!!)?)

Beijinhos e Abraços

Daniela disse...

Hola Nuno!

Epa o Helder ficou magoado contigo pá! Lol
Posso dizer-te que ele tem trabalhado muito, mas a cena de a bolhinha do nível ter de ficar entre aquelas duas riscas nao é para ele...

Todos os nossos posts sao escritos em conjunto, só que eu ponho-os com o meu utilizador porque dá muito trabalho andar a mudar...

E os cadernos têm dado imenso jeito! Estao cheios de receitas, moradas de e-mail e palavras (algumas feias) em espanhol e em inglês :)

Nao imaginas a dificuldade que é escrever nestes teclados... tenham paciência connosco :)

Beijos!

Cátia disse...

O quê?! Demoraram um mês para construir uma casa-de-banho?

Tou a brincar, é claro, gostei do resultado final... tem um ar rústico que me agrada.

Daniela, tens um ar de quem está mesmo orgulhosa :)

nuno brolock disse...

Não é para ele e para mais ninguém!!! Se reparem bem, todas as prateleiras, e outros que tais aqui em casa estão com uma ligeira inclinação!

ps- Ó Helder não fiques assim! Tou a entrar contigo, pá! Tava a reinar! Quando voltares dou-te um carinho, pode ser?

Asita disse...

Então maninho...já te toparam hem?? Ser patrão é k dava jeito né?...mas diga-se a bom da verdade o meu maninho até gosta de trabalhar mas ainda não descobriu a sua vocação...mas pelos vistos passa mesmo pelos animaizinhos e fotografias.Vcs devem tar a pensar mas ela teve tanto tempo sem dar noticias e vem logo deitar abaixo a família?? Né nada disso meninos..mas axo graça por vezes no nosso país ñ nos sujeitarmos a certas coisas e kd decidimos abraçar uma causa nobre como o voluntariado fazemos kk coisa para ajudar..meu keridos só tenho pena de ñ ser solteira e ter a minha piolhinha para criar (SIM! pk eu adoro a minha princesa e só se ela fosse na minha mochila é k eu largava tudo para ir para os recantos do mundo ajudar outros povos) mas infelizmente alguém tem de trabalhar neste paraíso (para alguns) à beira mal plantado, para depois outros andarem a esbanjar em TGVs, estádios de futebol, carros topo de gama e kms de auto-estradas pelo pais fora!! Já agora aproveito para dar os cumpts do Paulo aki do Ed.Neopark k diz k adora o vosso blog..e diga-se a bom da verdade vcs se ñ arranjarem nada kd voltarem já pensaram seriamente em enredar pelo jornalismo fotográfico/turístico? As fotos são espectaculares (e de certeza k nem são 0.001% das fotos k têm tirado) e as vossas palavras fazem-me sentir como se estivesse ao vosso lado a viver estas aventuras...olhem k o vosso blog faz sensação aki por entre as hostes da Solvay..os meus “colegas” de carteira adoram ler as vossas aventuras e até já propuseram k publikem um livro com as vossas aventuras no país dos Ticos...hem??..mas tb tenho outra proposta (mais p/a Dani) tou a pensar construir 1 casita e se a mão de obra fosse da família tvz arranjasse um belo desconto :)...beijokas da família toda (vcs sabem kem são senão fikava aki a noite toda) e agora vou ganhar coragem para sair de Carnaxide ir aventurar-me nas filas p/a festa do Avante...pois é tenho musica à borlix este fds...e discurso de camarada tb!! E desculpem lá o testamento mas kd começo a escrever é como kd começo a falar...porqué no te callas?

Daniela disse...

Ois!!!
C'atia, percebeste mal: foi um mes para fazer a parte de cimento!!! A casa de banho em que eu estou sentada toda contente nao fomos nos que fizemos, essa j'a estava terminada quando chegamos. 1 mes para construir a cena de cimento, mas tens de pensar que foi 1 dia pa transportar tijolos para a selva, outro para levar o cimento, dois dias pa armacao de ferro...

Ana, o Helder adorou o teu coment'ario. Alias os teus comentarios, fartamo-nos de rir!
Ele manda cumprimentos ao senhor Paulo e po pessoal da solvay! Agora sabemos que temos a responsabilidade de estar a escrever para um p'ublico desconhecido...

Beijos grandes!